CETAM – Tomografia e Ressonância
Home | Blog | O que você precisa saber sobre a obesidade infantil

O que você precisa saber sobre a obesidade infantil

12 de Março de 2020

O dia da conscientização contra a obesidade mórbida infantil é somente no dia 3 de junho, mas esse é um trabalho cuja abordagem a abordagem deve ser de forma constante e permanente. Se nas décadas passadas olhávamos para crianças mais gordinhas como sendo super saudáveis – o que em partes era verdade, visto que crianças subnutridas daquela época eram mais vulneráveis a doenças e infecções – hoje, sabe-se que o sobrepeso nos primeiros anos de vida pode resultar em sérias complicações para toda a vida.

A combinação de uma dieta baseada em fast-foods, doces, alimentos industrializados e uma rotina sedentária (na maioria das vezes influenciada pelas tecnologias) pode resultar em problemas graves na saúde dos pequenos. Por essa razão, é necessário que você esteja sempre atento aos hábitos e alimentação do seu filho ou das crianças mais próximas, para assim, poder garantir condições saudáveis e ideais para o desenvolvimento nas primeiras fases de vida. 

Na leitura a seguir, você irá compreender um pouco melhor os aspectos dessa condição e também os riscos de doenças que podem decorrer da mesma. Confira!

A obesidade infantil no Brasil

A obesidade infantil ocorre quando uma criança está com peso maior que o recomendado para sua idade e altura. De acordo com dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), o sobrepeso no Brasil passou de 51,1% em 2010, para 54,1% em 2014. Em 2010, 17,8% da população era obesa; em 2014, o índice chegou aos 20%, sendo o maior entre as mulheres, com 22,7%. O relatório também apontou o aumento do sobrepeso infantil, estimando que 7,3% das crianças menores de cinco anos estão acima do peso, sendo as meninas as mais afetadas, com 7,7%. Além disso, o índice de obesidade infantil do IBGE mostra que no Brasil, uma a cada três crianças está pesando mais que o recomendado. 

Para saber se uma criança está acima do peso recomendado ou com obesidade, é necessário fazer a conta do IMC (índice de massa corporal). Existem medidas ideais específicas para adultos, mas estas não se aplicam às crianças e podem inclusive causar a falsa ilusão de que a criança está saudável, quando na verdade ela pode já estar com obesidade infantil. As medidas de IMC para as crianças mudam de acordo com a idade e o sexo, e para orientar os médicos existem tabelas da Organização Mundial da Saúde (OMS) que auxiliam neste cálculo.

Causas e fatores de risco

Durante as últimas quatro décadas no Brasil, o índice de obesidade entre meninos saltou de 0,93% para 12,7%. Entre meninas, o crescimento foi menor, mas ainda assim elevado: passou de 1,01% em 1975 para 9,37% no ano de 2016, de acordo com dados compilados pela rede de cientistas de saúde NCD Risk Factor Collaboration. A principal razão para a alta de peso na população mais jovem é o consumo de alimentos ricos em açúcar e gordura, principalmente os industrializados. 

Apesar de ser uma condição com influência genética, nem todos os pais e mães com obesidade também terão filhos com o problema, assim como aqueles pais e mães com peso recomendado podem gerar filhos com obesidade. Isso porque a obesidade infantil também tem ligação com os hábitos alimentares da criança e da família, bem como a realização de atividades físicas. Além disso, é importante compreender que a obesidade em crianças também pode ser decorrente de alguma condição médica, como doenças hormonais ou uso de medicamentos a base de corticoides.

Controle, tratamento e redução

Não existe nenhum tratamento farmacológico em longo prazo que não envolva mudança de estilo de vida, por isso, cuidados desde o período de gestação são fundamentais para o desenvolvimento saudável da criança. Aumentar o aleitamento materno na infância, limitar o consumo de alimentos ricos em açúcar e gordura como refrigerantes, biscoitos e fast-food além de encorajar os jovens a praticar exercícios físicos também são atitudes essenciais para evitar a obesidade.

Faz-se necessário compreender que o controle da obesidade é consequência de uma mudança de hábitos e conceitos. Para as crianças pequenas que estão ainda aprendendo a comer, é importante que a família não apenas ensine, mas que tenha bom senso e dê o exemplo.

Todos os direitos reservam-se as fontes mencionadas.

https://www.saude.gov.br/noticias/agencia-saude/45494-obesidade-infantil-traz-riscos-para-a-saude-adulta

http://agenciabrasil.ebc.com.br/saude/noticia/2019-11/saude-lanca-campanha-para-prevenir-obesidade-infantil

https://drauziovarella.uol.com.br/drauzio/artigos/obesidade-uma-doenca-artigo/

https://www.minhavida.com.br/saude/temas/obesidade-infantil

https://www.bbc.com/portuguese/geral-41588686


VOLTAR
© 2020 CETAM Diagnóstico por Imagem
- Todos os direitos Reservados
Desenvolvido por AOX DIGITAL