CETAM – Tomografia e Ressonância
Home | Blog | O que você precisa saber sobre Dores nos Ombros

O que você precisa saber sobre Dores nos Ombros

07 de Junho de 2020

Dores na região dos ombros geralmente estão associadas à inflamações nos tendões(tecido fibroso pelo qual um músculo se prende a um osso). As causas podem ser as mais diversas e por isso, é importante ficar atento. 

Caso você conviva com esse incômodo ou conheça alguém que passe por isso, nada melhor do que consumir informação para saber quais medidas tomar. Por isso, na leitura a seguir, separamos algumas questões importantes sobre o tema para você observar. Confira!

Causas

A articulação do ombro, como todas as articulações dos membros superiores, se desenvolveram e se adaptaram para ser uma articulação de função e não de carga, como é o caso de articulações dos membros inferiores.

Para isso, os músculos e tendões presentes no ombro desempenham um papel importantíssimo no bom funcionamento destas articulações.

Comumente, a dor no ombro é quando os tendões são acometidos inicialmente por uma inflamação. Os tendões ficam inflamados ou danificados, configurando, assim, uma condição chamada de tendinite do manguito rotador. A dor no ombro por tendinite pode ocorrer por:

  • - Desgaste natural devido ao envelhecimento;
  • - Atividade esportiva, em especial aquelas que envolvem movimentos de lançamento, como beisebol, tênis, natação, etc;
  • - Atividades de trabalho em que é preciso levantar o ombro;
  • - Trauma direto ou queda sobre o ombro.

Grupos de risco

As dores nos ombros são bastante comuns e se encontram no terceiro lugar na lista das queixas mais frequentes nos consultórios médicos, perdendo apenas para as dores na lombar e nos joelhos. Estima-se que ela afete de 16% a 26% da população em geral e que, todos os anos, uma em cada dez pessoas procure ajuda médica. 

Contudo, esse incômodo está mais presente em pessoas de 45 a 65 anos, afetando as mulheres, na maioria das vezes. A razão para isso ainda gera discussões entre os cientistas, mas supõe-se que haja relação com fatores hormonais, já que a mulher possui mais estrogênio, hormônio ligado à maior sensibilidade e dor.

 

Tipos de dores nos ombros

Este problema pode se desenvolver de diversas maneiras, como por exemplo: 

 
  • Síndrome de Impacto (Bursite do Ombro): Conhecida como bursite, "reumatismo" ou, simplesmente, dor no ombro, a Síndrome do Impacto é uma inflamação do músculo supraespinhal e da bursa (bolsas sinoviais espalhadas pelas principais articulações do corpo), que surge devido ao impacto entre os ossos, toda vez que você levanta seus braços. E essa dor no ombro, que se irradia para a porção média do braço, costuma piorar com atividades que exijam a elevação dos braços (professores, pintores, carregadores), com exercícios físicos intensos (vôlei, natação) e à noite, quando se estende o braço ao longo da cama, esticando os tendões já inflamados. Em cerca de 70% dos casos, o tratamento clínico alivia os sintomas. Já os 30% restantes apresentam recorrências frequentes da dor e, muitas vezes, precisam de procedimentos cirúrgicos para melhora definitiva do quadro.
   
  • Tendinite do Bíceps:Os músculos denominados bíceps têm uma importância muito grande na realização dos movimentos dos ombros, braços e cotovelos. E quando os membros superiores são utilizados com bastante intensidade - no caso de arremessadores, nadadores, por exemplo - pode ocorrer uma doença conhecida como tendinite da cabeça longa do bíceps, localizada geralmente entre o ombro e o cotovelo. Esse problema caracteriza-se pela inflamação ou ruptura do tendão do bíceps. A localização exata dessa tendinite - que pode ocorrer em qualquer ponto do cabo longo do bíceps - só pode ser determinada através de exames físicos e radiológicos, possibilitando o tratamento adequado, sem aquelas "famosas" infiltrações do passado.
 
  • Epicondilite Lateral do Cotovelo: A epicondilite (conhecida também como “Cotovelo de Tenistas”) se caracteriza por uma dor no canto lateral do cotovelo, que se irradia para o antebraço e é frequente entre 35 e 55 anos de idade, ocorrendo tanto em homens como mulheres. O problema pode surgir após esforço físico intenso imediato ou esforços contínuos, de forma cumulativa, e não é uma inflamação comum. Na verdade, ocorre a morte do tecido muscular por alteração da vascularização local e, consequentemente ruptura local dos músculos extensores. Normalmente tratada com imobilização, medicação e fisioterapia, a epicondilite pode tornar-se crônica, apesar do tratamento conservador instituído. No entanto, são raros os casos em que o médico indicará uma cirurgia.
 

Quando procurar atendimento médico?

Quando a dor no ombro persiste por mais de dez dias, mesmo após o uso de analgésicos comuns, procure um profissional. Um ortopedista, um reumatologista, um fisiatra (médico focado em reabilitação) ou um especialista em dor podem avaliá-lo. 

Os médicos advertem que, nesses casos, é melhor não esperar muito tempo para obter a opinião de um profissional. Isso porque o sintoma pode se agravar, tornando-se crônico. Portanto, quanto antes você procurar ajuda, mais chances tem de se livrar da dor rapidamente.

Todos os direitos reservam-se as fontes mencionadas.

Disponível em:  https://www.into.saude.gov.br/lista-dicas-dos-especialistas/186-quedas-e-inflamacoes/132-inflamacao-dos-tendoes , https://www.minhavida.com.br/saude/temas/dor-no-ombro , https://www.uol.com.br/vivabem/noticias/redacao/2019/05/21/dor-no-ombro-inflamacoes-e-traumas-sao-principais-causas-veja-como-tratar.htm.

VOLTAR
© 2020 CETAM Diagnóstico por Imagem
- Todos os direitos Reservados
Desenvolvido por AOX DIGITAL